Petrobras: capitalização de R$ 115,05 bilhões para pré-sal e investimentos

Artigo extraído do @blogdoplanalto:





A maior capitalização de recursos no mercado acionário mundial renderá R$ 115,05 bilhões (66,9 bilhões) aos cofres da Petrobras. O anuncio foi feito pelo presidente da companhia, José Sérgio Gabrielli, em discurso no pregão da BM&F/Bovespa. Gabrielli explicou que parte dos recursos servirá para pagar a cessão da União para explorar a camada do pré-sal. Outra parcela irá para o caixa da estatal com finalidade de fazer frente ao plano de investimentos 2010/2014 de US$ 224 bilhões.
“Estou limitado ao que a CVM [Comissão de Valores Mobiliários] me permite falar. Portanto, vou ler o que a CVM me permite falar. Nesses quases oito anos do governo do presidente Lula a Petrobras teve avanços em suas operações. Atingimos autossuficiência na produção de petróleo. Tivemos também a descoberta na áerea do pré-sal. Nessa manhã, aqui na sede da Bovespa, lançamos a maior oferta pública que o mercado de capitais teve notícia. Estou certo que ficará registrada para sempre na história do Brasil e do mundo.”
Gabrielli explicou que todo o processo seguiu à risca as recomendações da Comissão de Valores Mobiliários (CVM). No dia anterior, segundo ele, o Conselho de Administração da empresa fixou os valores das ações da Petrobras no processo de capitalização. Cada título ordinário (com direito a voto) ficou em R$ 29,65 e a ação preferencial (sem direito a voto), R$ 26,30. Já as ADRs lançadas no mercado externo valem respectivamente US$ 34,49 (com direito a voto) e US$ 30,59 (sem direito a voto).
Uma nota à imprensa da Petrobras informa o calendário do processo de capitalização. Até o dia 24 de março de 2011, data máxima para publicação do anúncio de encerramento do procedimento, ocorrerão o início da negociação das ações da oferta brasileira na BM&Bovespa (na próxima segunda-feira, 27/9) e o encerramento do prazo (28/9) para entrega de LFT para liquidação da oferta prioritária. No dia seguinte (29/9) é o prazo fixado para a liquidação das ações deste oferta.



A empresa detalhou também a destinação do dinheiro que entrará no caixa: a companhia pretende utilizar os recursos líquidos captados na distribuição de ações, no contexto da oferta, com o seguinte propósito: aproximadamente 68% em contrapartida à cessão onerosa; e aproximadamente 32% para financiar os investimentos da companhia, que, de acordo com o seu plano de negócios para 2010-2014, são da ordem de US$224 bilhões, assim como para manter uma estrutura de capital e índices de alavancagem adequados.
No mesmo cenário, o ministro da Fazenda, Guido Mantega, afirmou que a Petrobras passou a ser a segunda empresa mais cara do mundo, ficando atrás apenas da Exxon, petrolífera norte-americana. “São cerca de US$ 70 bilhões que se acrescentam ao patrimônio da Petrobras. Dessa maneira, a Petrobras se transforma na segunda maior empresa a valores de mercado, passando a valer US$ 220 bilhões com a sua cotação de hoje,” disse Mantega.
O ministro afirmou que os objetivos da capitalização foram todos alcançados, uma vez que a Petrobras passa a deter um patrimônio muito maior e um “caixa bastante poupudo” e que tornou viável o aumento da participação da União no controle acionário.
“A participação da União, que somando o BNDES, o fundo soberando [FBS] e a União propriamente dita, passa de cerca de 40% para 48% do total das ações. Além disso, ainda foi dada a oportunidade para que os varejistas pudessem ter ampla participação nesta operação”, disse.
Já O ministro de Minas e Energia, Márcio Zimmermann, explicou que o governo chegou a um ponto que talvez muitos não acreditavam, e no prazo previsto.
“Realmente atingir isso nesse momento em que você tem uma empresa como a Petrobras, fazendo um processo de capitalização como a de hoje na segunda maior bolsa de valores do mundo, você consegue para o Estado brasileiro uma capacidade de mostrar ao mundo a forma de como tem feito a gestão de empresas eficientes, empresas competentes. A sociedade brasileira está de parabéns por esse processo”, ressaltou.
Na cerimônia, o vice-presidente José Alencar afirmou que se inicia um novo tempo para o Brasil e que o país dá um exemplo de como devem ser tratadas as questões ligadas aos negócios de relevância nacional. Alencar lembrou ainda que a Petrobras foi criada por Getúlio Vargas em um período em que não se acreditava sequer que o Brasil detinha petróleo.
“No momento em que realizamos esse grande acontecimento, nós estamos levando a nossa homenagem ao saudoso presidente Getúlio Vargas”, lembrou.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Porque apoiar políticas de desenvolvimento regional? Idéias sobre alguns dos dilemas atuais do desenvolvimento brasileiro.

Pequena Introdução ao Desenvolvimento: enfoque interdisciplinar

Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza