Mobilidade tecnológica, você ainda vai ter a sua.



Desde quando a informática entrou na minha vida, algumas questões sempre apareceram muito claras pra mim: a usabilidade. Ou seja, não basta ser o mais usado, ou o mais bonito, ou o mais seguro e etc., o equipamento têm que funcionar de forma que eu nem perceba que ele existe. Mais ou menos como nos relacionamos com nosso corpo. Só sentimos realmente que temos uma parte dele quando existe algum problema!

Como todo mundo da minha idade (passando dos 35) o primeiro contato com informática foi no windows 95. O tempo passa... Mas tínhamos que pagar nossos pecados.

De lá pra cá muita coisa mudou e hoje a palavra de ordem é: mobilidade! Tornar as coisas de tão fácil uso, a qualquer momento e lugar virou o novo mantra do mundo tecnológico. Não que o desktop irá sumir de nossas vidas, principalmente no Brasil onde grande parcela da população está tendo acesso ao seu tão sonhado PC agora, mas o presente já nos sinaliza que no futuro próximo, esse fenômeno tende a se ampliar numa proporção geométrica.

Do ponto de vista pessoal, passo tanto tempo com o smartphone ou tablet na mão quanto diante de um desktop, e acredito que em breve essa será uma verdade para muito mais profissionais. Não que faremos o  trabalho mais pesado no iPad, mas certamente o trabalho terminará sendo apresentado ou utilizado de fato nessa tela de 9,7".  Na medida em que os aplicativos evoluam e consigam tirar mais proveito das facilidades do tablets, a migração do PC para o tablet será ainda mais acelerada.

Tenho usado para várias atividades, seja apresentar um documento, planilha, gráficos e etc. Mas ultimamente utilizei muito mais como mapa nas viagens que tenho realizado pelo Rio Grande do Norte. Ou seja, traço a rota no Google Maps, salvo em pdf e transfiro para o iPad.




Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pequena Introdução ao Desenvolvimento: enfoque interdisciplinar

Porque apoiar políticas de desenvolvimento regional? Idéias sobre alguns dos dilemas atuais do desenvolvimento brasileiro.

Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza