Desenvolvimento não-equilibrado: uma defesa


RESUMO DO TEXTO:

Livro: Estratégia do Desenvolvimento Econômico
Autor: Albert O. Hirschman

Cap IV: Desenvolvimento não-equilibrado: uma defesa

É indispensável o equilíbrio da oferta?

             A teoria do desenvolvimento equilibrado é essencialmente um ensaio de estatística comparativa retrospectiva.
O desenvolvimento equilibrado, que se revela nos dois instantâneos fotográficos, tirados em dois períodos de tempo distintos, representa o resultado final de uma série de avanços desiguais de um setor, seguido pelos outros setores que o procuram alcançar. Se a corrida para atingí-lo ultrapassa a meta, como se acontecer, está então firmado o passo para maiores progressos adicionais.
Hirschman, citando Scitovsky, mostra que os lucros são sinais de desequilíbrios, e a magnitude dos lucros em livre concorrência levam aos níveis brutais de desequilíbrios. O autor citado dá como exemplo uma situação onde ocorra lucro extraordinário em um determinado setor, tal situação atrai atenção de novos investimentos, que levam a maior concorrência e retração do lucro. Por sua vez, pode elevar os lucros de outros setores, e mais uma vez se gera uma situação de desequilíbrios, e atrai novos investimentos.
 Em regra geral, a política desenvolvimentista deve-se interessar mais pela manutenção dos desequilíbrios. Se a economia se desejar manter ativa, o papel da política desenvolvimentista é conservar as tensões, as desproporções e os desequilíbrios.

Uma definição de Investimento Induzido

                  O investimento induzido é mais significativo para economias subdesenvolvidas do que o conceito tradicional de investimento. Isto é, o investimento tradicional acolhe aqueles setores que apresentam elevação de demanda.
                 Já o investimento induzido, por seu turno, é aquele que se realiza em uma determinada indústria, e nos demais que complementam o funcionamento daquela. Ou seja, tomando como exemplo um determinado aumento de demanda por cerveja. Neste caso, o investimento induzido pode determinar não só a expansão da cervejaria, como também o início da fabricação interna de garrafas, o cultivo de cevada e outras repercussões similares.
                “Em outras palavras, o investimento induzido pelos efeitos da capacidade completiva pode auxiliar e efetivar uma transformação real de uma economia subdesenvolvida.”

Alguns pontos de vista correto

             O modelo pelo qual o investimento induzido leva a outro investimento, através da capacidade completiva e das economias externas, constitui um auxílio inestimável ao desenvolvimento e precisa ser conscientemente utilizado no curso do processo desenvolvimentista. Pressiona todo um conjunto de deliberações inversoras com isto, aumenta o recurso escasso e não economizável dos países subdesenvolvidos.
            O autor cita ainda alguns outros autores e estudo que se assemelham da tese do investimento induzido, tais como Perroux, com os pólos de desenvolvimento e o estudo de Svennilson sobre a importância dos desenvolvimentos complementares.

Comentários

Postagens mais visitadas deste blog

Pequena Introdução ao Desenvolvimento: enfoque interdisciplinar

Porque apoiar políticas de desenvolvimento regional? Idéias sobre alguns dos dilemas atuais do desenvolvimento brasileiro.

Por que as nações fracassam: as origens do poder, da prosperidade e da pobreza